Quem estará ao lado de Dailton na chapa? Marden diz que escuta ao cidadão que vai definir

Assim como na capital baiana, a sucessão municipal na cidade de Madre de Deus também tem a sua definição em uma das chapas concorrentes como um dos capítulos em cena. A posição de vice prefeito ou vice prefeita na chapa de Dailton Filho (PSB) tem movimentado as reuniões e comentários.

O PSB já teve o “puro sangue” Marden Lessa como a dobradinha do correligionário Dailton Filho. O Republicanos tem o atual presidente da Câmara Municipal, Paulinho de Nalva e a vereadora Joyce Filha de Seu Hélio como nomes citados. O Solidariedade traz o vereador Pastor Melk como político mais destacado e que tem apoio de setores do PSB. O presidente do partido, Amilton Pereira também tem sido lembrado para ocupar o posto na chapa. Quem também passou a figurar na lista de postulantes é o vereador Juscelino, também do SD.

Questionado sobre as especulações, o vereador Marden Lessa fez algumas considerações acerca dos diálogos na direção da escolha do nome para vice na chapa de Dailton Filho. “Todos nomes que estão sendo apresentados terão as análises mais qualificadas em todos os aspectos que agregarem mais capacidade política e eleitoral à chapa. Tudo que é feito dentro do grupo que Dailton [Filho] conduz tem a marca do diálogo coletivo e transparente”, disse Marden.

Sobre preferências pessoais, Marden despistou, mas deu pistas de quais nomes gostaria de ver na chapa: “Reafirmo que todos nomes postos e outros que não foram listados por vocês são importantes e engrandecem o projeto. Poderia falar de uma escolha pessoal, isso se eu tivesse essa possibilidade. Sugeriria o meu amigo Pastor Melk que reúne qualidades significativas pra mim. Da mesma forma, temos Amilton [Pereira] que é um quadro político importante na cidade. Falaria também da figura do presidente Paulinho [de Nalva] que se mostrou competente gestor à frente da Câmara, além da capacidade política e representatividade social da colega Joyce [Filha de Seu Hélio]. Não posso deixar de citar a experiência de Seu Juscelino na política que somaria muito”, sinalizou.

Sobre uma data derradeira para a escolha, Marden foi enfático: “É uma construção coletiva onde todos os atores do processo serão ouvidos, ressalto, todos e assim será tomada a decisão. Nada pode passar sem a preferência do principal interessado que é o cidadão de Madre de Deus. Esse é o principal motivador de nossas decisões. É o cidadão que conduzirá e dirá quem ele prefere para tomar conta dos destinos da cidade junto com Dailton no ano que vem”, apontou Marden.

Enquanto sobram bons nomes na chapa do “Beija Flor”, a mesma vantagem não tem sido observada pelo interino Jailton Santana (PTB). Apoiado por alguns poucos vereadores, o petebista tem dificuldades em contar com políticos que queiram queimar suas possibilidades nas próximas eleições ao lado dele e de seu novo (velho) aliado Jeferson Andrade.

Nomes que estão nas especulações em torno do interino também são observados para agrupar-se à Dailton Filho. O Diário da Metropolitana apresentou os cogitados e Marden não titubeou ao ser indagado sobre a possibilidade. “Eugênio “Manteiga” é do PCdoB e esteve cogitado para compor a chapa com Nita; o pastor Gilmar (Avante) teve seu nome veiculado nos últimos dias, além da ex-vereadora Rose Queiroz (PSD) que aparece como nome mais leve e representando o partido do senador Otto Alencar. Reeditaria a composição de 2016 e ainda reafirmaria a representatividade da política baiana que tem Rui Costa e Jaques Wagner, do PT, Otto do PSD e até mesmo Coronel”, concluiu Marden.

Leia a anterior

Vera Cruz: Ane evidencia fragilidades da atual gestão e grupo de Vinícius começa a sentir o baque

Leia a próxima

Especialista dá dicas para limpeza e desinfecção doméstica

Deo seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *