Madre de Deus: O xadrez político do prefeito Jefferson Andrade

O vereador de Madre de Deus, Kikito Tourinho (PPS) pediu a instalação de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar o contrato de prestação de serviços da JG Tecnologia Ltda. com o município. De acordo com denúncias feitas, a empresa pertence a um parente do secretário de serviços públicos da cidade, Jacson Andrade, que é irmão do prefeito. O pedido foi feito durante a sessão ordinária dessa terça-feira (12).

Inscrita como empresa de pequeno porte na Receita Federal, a sociedade é composta por Mariane Oliveira Porto e Maria Helena de Souza Porto, segundo informações obtidas, essas pessoas seriam familiares do secretário Jacson Andrade.

Reforçando o pedido em relação à CPI da JG, Kikito pediu à Mesa Diretora da Câmara Municipal que defira o requerimento assinado também pelos vereadores Val Peças (PSL), Juscelino Silva (PPS) e Jodiane de Jajai (PRB).

O prefeito Jefferson Andrade (DEM) tem tido dificuldades na Casa Legislativa e sua base de apoio está fragmentada após a eleição do presidente Paulinho de Nalva (PRB). A composição que ajudou a eleger o vereador para presidir o Legislativo agora se volta contra o gestor municipal e prova disso é a assinatura da vereadora Jodiane (PRB) ao requerimento de Kikito Tourinho (PPS). A sopa de letrinhas está indigesta para o chefe do Executivo que tinha maioria de apoiadores e agora pena para escolher um líder de bancada que agora deve ser considerada como minoria.

Na mesma sessão, o vereador e presidente Paulinho de Nalva (PRB) garantiu que seria o primeiro signatário de um pedido de demissão do gerente da empresa MM Consultoria que atua na limpeza urbana da cidade. Tido como autoritário e assediador dos trabalhadores, Luciano Menezes é alvo de críticas dos vereadores das duas bancadas que exigem seu desligamento. O vereador Marden Filho de Tutuca (PCdoB) tem sido um dos edis mais contundentes e chegou a declarar que o Executivo não conta com seu apoio nas discussões de projetos.

Esse xadrez acua a torre do prefeito Jefferson Andrade (DEM), onde o PPS e o PSL sempre estiveram na oposição à sua gestão e o PRB que integra os quadros da Prefeitura com indicações de cargos, passa a ter posicionamentos contrários aos anseios de Andrade. O PCdoB de Marden e o vereador Pastor Melqui (PPS) formam uma dupla que tem mantido uma certa independência na Casa, principalmente pela política de isolamento direcionada pelo prefeito ao mesmo desde a sua eleição, algo que desagradou aos apoiadores de Melqui que esperavam acenos positivos de Jefferson.

A sorte do prefeito Jefferson Andrade está lançada e precisará de muita habilidade para lidar com a situação. Pelo visto tem faltado ao político, alguma vontade ou talento para lidar com a situação e os constantes ataques podem piorar ainda mais a sua relação com o Legislativo.

Para você leitor do Diário da Metropolitana entender o panorama político na Câmara Municipal de Madre de Deus:

Vereadora Cláudia (PSB); Vereador Anselmo de Begú (DEM); Vereador Paulinho de Nalva (PRB); Vereadora Joyce Filha de Seu Hélio (PRB) e Vereador Renato de Martins (PSD) apoiam a gestão.

Os vereadores Marden Filho de Tutuca (PCdoB) e Vereador Pastor Melqui (PPS) caminham de modo independente.

Vereador Val Peças (PSL); Vereador Kikito Tourinho (PPS); Jodiane de Jajai (PRB) e Vereador Juscelino Silva (PPS) declaram oposição ao prefeito

 

Leia a anterior

Matrículas para rede municipal de ensino de Camaçari acontecem em 62 locais

Leia a próxima

Camaçari: Prefeitura vai recorrer contra fechamento da feira

Deo seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *