Cozinha Comunitária de Itinga comemora mais de 100 mil refeições servidas em um ano

“Não são todos os dias que temos condições de comer em casa. Aqui na Cozinha Comunitária a gente come bem por dois reais”, relatou Maria Dionísia Sacramento, 70, moradora da Chácara Thaity, Itinga – comunidade onde está localizada o equipamento que nesta quarta-feira (27), completou um ano de funcionamento e já serviu 100.800 refeições. O equipamento atende trabalhadores de baixa renda, idosos, desempregados e pessoas em situação de vulnerabilidade. A banda da Base Aérea de Salvador e os corais do Profesp e Projeto Vida, encantaram o público.

Feliz pelo serviço social executado com qualidade, a prefeita Moema Gramacho destacou que o seu trabalho é fazer melhor para quem mais precisa. “Esta Cozinha faz parte do Programa de Segurança Alimentar e Nutricional, criado graças ao governo Lula e Dilma. Mais uma vez estamos nos credenciando entre os municípios que mais investem na segurança alimentar do Brasil”, enfatizou. O equipamento construído na sua segunda gestão (2012) com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social, ficou parado durante quatros anos na gestão anterior, até ser recuperado e inaugurado na atual administração.

Na Cozinha Comunitária de Itinga são servidas diariamente 200 refeições acompanhadas de suco e sobremesa a R$2,00, no almoço, e 200 sopas a R$1,00, das 16h às 18h, no jantar. A nutricionista de Segurança Alimentar do Município, Sheila Barros, destacou para os comensais que o acesso à alimentação adequada é um direito humano, como regido pela Lei Orgânica nº 11.346. Parte da política de segurança alimentar municipal, a Cozinha é vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Cidadania (Semdesc).

Rede Alimentar – Além da Cozinha Comunitária, o município conta com uma rede de equipamentos que compõem o Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional. Fazem parte o Restaurante Popular, servindo 3 mil pratos por dia de acordo as regras da boa alimentação em quantidade, qualidade, adequação e harmonia de sabores e nutrientes, a Cozinha Comunitária de Portão que funciona desde 2007 com produção de refeições e lanches para público específico do CRAS e CREAS e entrega uma média de 100 mil refeições por ano, e o Banco de Alimentos de Portão.

Leia a anterior

Cinco novas empresas devem investir R$ 196 mi em Sento Sé e RMS

Leia a próxima

Camaçari: cota única e 1ª parcela do IPTU tem vencimento em 10 de abril

Deo seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *