Cesta básica de erros, vícios de origem, coincidências e população paga o preço

A saga do fornecimento das cestas básicas continua na cidade de Madre de Deus. Uma licitação recheada de ingredientes que causa inveja à lista de itens constantes dos pacotes que deverão ser entregues à população do município atingida pela pandemia.

Desclassificada por apresentar preço maior que a concorrente Elder Fabrício PH Comercial, a segunda colocada FV Noronha da Silva volta ao circuito para substituir a vencedora que supreendentemente fora eliminada do certame. 

Beneficiada pela decisão da gestão municipal, a FV Noronha da Silva agora volta ao cenário para fornecer as milhares de cestas básicas. Aliado da gestão municipal Valdenir Noronha – que responde pelo PSD na cidade – tinha sido alvo de denúncias por parte de vereadores oposicionistas.

O que se mostrou curioso é que mesmo com a comprovação durante o certame de que não conseguiria cobrir o menor preço (princípio licitatório), a empresa do aliado de Jeferson Andrade (PP) foi reclassificada para contratar com a Prefeitura de Madre de Deus. Segundo declaração do secretário do Desenvolvimento Social, Paulo Teiu, a licitação teria sido palco de “erros”. De forma confusa, tentou explicar como funciona a Lei de Licitações, mas o que parece não conseguiu.

Leia a anterior

Fabíola propõe linhas de créditos com taxas reduzidas para artistas e produtores culturais

Leia a próxima

Jailton assume prefeitura de Madre de Deus após Jeferson ser afastado pela Justiça

Deo seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *